Home > Blog > Desmascaramos 7 mitos sobre cibersegurança
Artigos Serviços TIC

Desmascaramos 7 mitos sobre cibersegurança

Leitura: 11 minutos

mitos de segurança informática

No que diz respeito à cibersegurança, inúmeros mitos e falsas crenças se espalharam pelo mundo dos negócios e que podem levar a sérios problemas que comprometem a integridade dos dados da empresa.  

As empresas devem enfrentar e gerenciar muitas ameaças à segurança de computadores, e fazer isso adequadamente não costuma ser fácil. 

Assim como acontece com outras disciplinas em constante evolução, no campo da cibersegurança é necessária uma formação técnica considerável para poder avaliar com precisão os riscos a que os ativos da nossa empresa podem estar expostos. 

Por isso, é evidente que a melhor opção é deixar a assessoria, a consultoria ou a implantação de sistemas de segurança eficazes nas mãos de especialistas para que ajudem a proteger nossos sistemas de informação. 

Para tomar certas decisões, é necessário ter um grau de conhecimento técnico suficiente que nos permita reconhecer se as medidas propostas são adequadas ou não. 

Nesse sentido, o fato de nunca ter tido grandes problemas relacionados à cibersegurança, ou ter uma assessoria técnica ruim, pode nos levar a simplificar demais o escopo das soluções aplicadas ou a pensar que temos todos os riscos bem vigiados, quando não é verdade. 

Estamos cientes dos danos que podem ser causados a uma empresa que não conhece esses riscos e não tem uma solução de cibersegurança adequada para lidar com esses problemas em todos os níveis, sejam eles provenientes do ambiente on-line externo ou decorrentes de atividades internas. 

Por isso, neste artigo, contamos 7 mitos sobre cibersegurança que você deve evitar se quer cuidar da integridade dos recursos digitais que armazenam informações valiosas sobre o seu negócio. 

Continue lendo! 

7 mitos sobre segurança cibernética

Como dissemos, conhecimentos insuficientes podem nos levar a fazer algumas afirmações infundadas, como as seguintes:  

  1. Minha empresa tem firewalls e eu tenho um antivírus atualizado, então acho que não preciso de mais nada para proteger meus dados. 
  2. Estou usando uma solução comprovada de e-mail na nuvem, portanto estou devidamente protegido contra ataques de phishing (falsificação de identidade).
  3. A senha do Wi-Fi é bastante complexa. Ninguém poderá entrar na minha rede.
  4. Meus dados não são importantes para ninguém, então não sou alvo de hackers. 
  5. Com exceção dos cargos de gestão, os usuários da empresa têm acesso muito restrito à internet, portanto o risco é baixo. 
  6. Temos uma solução de antivírus avançada para os servidores, onde estão as informações importantes. 
  7. É muito fácil reconhecer um e-mail mal-intencionado. 

Você pode ter concordado com essas sete afirmações acima e até se aventurar a acreditar nelas cegamente, mas isso seria um erro. Garantimos que, se em algum momento você sofrer um ciberataque, refletir sobre esses pontos fará muito mais sentido. 

Se, por outro lado, eles geraram algum tipo de preocupação ou incerteza, aqui você encontrará considerações adicionais que podem ajudar a repensar a abordagem da cibersegurança em sua empresa. 

Considerações sobre cibersegurança 

  • Sem dúvida, firewalls e antivírus são elementos importantes para a cibersegurança de sua infraestrutura, mas, claro, não são a únicas coisas importantes. Além disso, se pensarmos neles, tanto uma solução quanto a outra podem não ser eficazes, dependendo de outros fatores que devemos considerar:
      1. Você sabia que a maioria das ameaças não pode ser detectada por meio de um sistema de assinatura como o usado por um antivírus tradicional? Você sabe o que é um EDR? O antivírus implementado em sua rede possui mecanismo EDR? Nesse caso, um EDR é muito mais do que um antivírus, pois fornece monitoramento contínuo e possibilita resposta a ameaças complexas. 
      2. Você sabia que, hoje em dia, quase todo o tráfego da internet é criptografado? Seu firewall está configurado para inspecionar o tráfego criptografado em busca de ameaças? Se esse não for o caso, tantos recursos de segurança serão de pouca utilidade, não importa quanto você tenha investido no produto que está usando atualmente. 
  • Você sabia que os principais provedores de e-mail na nuvem sugerem o uso de soluções de terceiros para obter uma proteção mais eficaz nas mensagens recebidas? Você acha que seria assim se a solução básica já nos oferecesse garantias de segurança suficientes? 
  • Você sabia que a conectividade sem fio, depois do fator humano, costuma ser um dos elos mais fracos da segurança das empresas? Você acha que nenhum dos milhares de vídeos no YouTube ensinando como invadir uma rede sem fio pode ser usado para comprometer a sua? 
  • Você sabia que as informações sobre listas de servidores ou redes comprometidas são vendidas em grandes quantidades para outros hackers para realizar outras atividades maliciosas, incluindo ransomware de dupla extorsão que eles podem usar contra você? 
  • Você sabia que os cargos executivos geralmente são o principal foco de atenção quando um ataque de spear phishing (phishing direcionado a uma pessoa específica) é realizado? Os usuários com mais privilégios e acessos são aqueles que podem representar um maior risco de segurança, e é nisso que os hackers investem mais esforço ao preparar um ataque. 
  • De onde você mais navega na internet? De um console de servidor ou de um PC de usuários? A porta de entrada para nossos dados não precisa ser um dos bens mais preciosos. 
  • Embora as técnicas para realizar uma campanha de phishing evoluam e melhorem notavelmente ao longo do tempo, existem pessoas que estão bem preparadas para detectá-las, mas podemos ter certeza de que todos os funcionários da empresa também estão suficientemente preparados para reconhecê-las? Basta que apenas uma pessoa morda a isca para que todos os dados sejam comprometidos. 

    Compartilhar página facebook twitter pinterest linkedin

Artigos relacionados

icon-CTA-SUSCRIBTETE-BLOG

Quer ficar por dentro de todas as novidades tecnológicas do seu setor?

Inscreva-se em nosso blog